Um segredo de ser músico profissional sem ler partitura

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Partitura – Muitas pessoas erram ao pensar que um bom músico é aquele que sabe ler partitura, e aos que não sabem, reserva-se a insignificância. Isso é um mito muito ruim. Você pode, sim, ser um músico de sucesso usando outros tipos de notação musical ou até mesmo tocando de ouvido.

Atualmente, para aqueles que não se identificam com a partitura, há outras formas mais inovadoras de aprender música – é o que acontece no Programa Música sem Limites, idealizado pelo maestro Helio Moreira, que utiliza uma metodologia bastante assertiva na aprendizagem do piano, por exemplo. Vejamos um pouco mais desta discussão sobre a profissão de música e a capacidade de leitura de partitura.

Muitos músicos não leem partitura e não há nenhum problema nisso

Engana-se quem acha que apenas os músicos profissionais leem partitura. Engana-se também quem acha que para ser profissional, é preciso ter este conhecimento. Em todas as épocas e gêneros musicais, há nomes famosos que nunca usaram a partitura como meio de produzir música. Obviamente, quando um músico quer se testar ou trabalhar em um ambiente mais restrito, talvez saber partitura faça uma grande diferença, mais não saber não o faz menos profissional.

partitura

Quando falamos em formação musical, entre aqueles que buscam fazer uma graduação, uma escola muito especializada em seu instrumento ou para aqueles que querem explorar todos os conhecimentos possíveis que a carreira pode possuir, sempre indicamos aprender partitura, já que é uma linguagem global. Não vamos desdenhar aqui neste artigo as grandes vantagens que uma pessoa que lê partitura pode alcançar, pois ela existe. Mas saber ler partitura não faz de ninguém necessariamente um profissional.

O que é uma partitura, afinal?

As partituras tal como as conhecemos atualmente é um modelo com mais de 300 anos. Ela já existia antes disso e foi evoluindo com o tempo. Trata-se da representação gráfica de sons com símbolos, desde a notação básica para tom, duração e tempo, às descrições de expressão, timbre e inclusive efeitos especiais. Podem ser folhas impressas ou manuscritas e até mesmo páginas digitais, uma vez que em muitos lugares usa-se tablets e partituras digitais, mas em essência continuam sendo a mesma coisa, com o mesmo formato.

partitura

A partitura contém uma notação musical que funciona como uma linguagem mundial. Ela pode exprimir diferentes instrumentos e não está focada em um só. Possuem um ou mais pentagramas, ou seja, 5 linhas e 4 espaços. Para se ter uma ideia, cada linha pode significar várias notas musicais, conforme a clave existente. Estas são algumas claves mais populares:

  • Clave de Sol – a 2ª linha (basta você contar de baixo para cima) e recebe a nota sol.
  • Clave de Fá – a 4ª linha recebe a nota fá.
  • Clave de Dó – a 3ª linha (central) recebe a nota dó. Também pode ser encontrada na 2ª ou 4ª linha.

Há ainda símbolos como:

  • Semibreve – possui maior duração (4 tempos); ou uma nota no compasso quartenário.
  • Mínima – possui a metade do tempo da Semibreve (2 tempos); ou duas notas no compasso quartenário.
  • Semínima – possui a metade do tempo da mínima (1 tempo); ou quatro notas no compasso quartenário.
  • Colcheia – possui a metade do tempo da semínima (1/2); ou oito notas no compasso quartenário.
  • Semicolcheia – possui metade do tempo da colcheia (1/4); ou dezesseis notas no compasso quartenário.
  • Fusa – possui metade do tempo da semicolcheia (1/8); ou trinta e duas notas no compasso quartenário.
  • Semifusa – possui metade do tempo da fusa (1/16); ou sessenta e quatro notas no compasso quartenário.

Há muito mais sobre partitura para se dizer, mas esta é uma pequena amostra sobre a estrutura de uma partitura. Veja que realmente é um assunto muito interessante e complexo, mas ainda assim saber partitura não fará você um músico por tabela.

Tudo é uma questão de opção. Há pessoas que realmente odeiam as aulas de partitura e não gostariam de aprender a ler com notação musical. Outras só sabem tocar com partitura e se sentem seguras desta forma. Será preciso ter paciência para aprender esta linguagem. Mas há outras possibilidades para quem não tem interesse em aprendê-la – como as cifras e outros métodos, por exemplo.

Vantagens de ler partitura

Como já dissemos, aqueles músicos que querem seguir formação acadêmica têm talvez mais necessidade de saber ler partitura e também pode ser um diferencial. Mas uma graduação não faz ninguém necessariamente um músico profissional de sucesso. É a atuação, a dedicação, o talento e o esforço que fazem toda a diferença. De nada adianta saber partitura e não querer se aperfeiçoar, buscam dar mais de si na sua música.

partitura

É claro que no meio acadêmico e de carreira a notação musical tem sentido, já que padroniza a música e a forma de fazê-la, ainda mais quando envolve outras pessoas, tal como numa orquestra, por exemplo. Mas há milhares de músicos incríveis e com carreiras fabulosas que não sabem ou não querem usar partitura na sua produção.

Desta forma, se você quer primeiramente compreender e se identificar com o instrumento, poderá utilizar um método alternativo de aprendizagem e notação musical, sem precisar investir tempo no aprendizado da partitura. Contudo, se pretende seguir uma carreira acadêmica, a partitura será imprescindível e depois é interessante aprendê-la. Mas tenha sempre em mente que há outras coisas muito mais importantes que faz de uma pessoa um músico profissional do que meramente saber ou não a notação musical.

Veja ainda como você vê o seu instriumento musical sob uma perspectiva subjetiva lendo este artigo. Não deixe de conferir todas as novidades na fanpage do Musica Sem Limites.

Postagens Relacionadas