Um segredo incrível para tocar um concerto

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Concerto – Todo músico passa pela ansiedade e nervosismo que antecede uma apresentação. No caso do concerto, não é diferente: esta sensação seguirá você por toda a sua vida e só é amenizada com a segurança de que ensaiou e conhece o repertório. Com os anos, parece que a sensação acaba sendo mais passível ao seu controle, mas ela não some 100%. Coração batendo forte no peito, frio na barriga, mãos frias e úmidas, tontura, tensão, fraqueza e algumas pessoas têm até vontade de vomitar. Veja agora como é possível controlar as emoções e ter uma apresentação mais segura e tranquila!

Problemas em se concentrar para o concerto

Fora os casos em que a falta de concentração de uma pessoa é uma condição preexistente e psicologicamente detectada, a falta de concentração pode se uma constante na vida de um músico de concerto. A dica é retomar mentalmente o que você ensaiou, dando destaque para as partes mais difíceis. Para isso, tire meia hora antes da apresentação – ou o tempo que precisar – e repasse a sua apresentação. Essa sensação de que algo ruim vai acontecer acaba dando conta a pensamentos mais lógicos e assertivos sobre o concerto.

Você não está sozinho

Quase todos os músicos passam por estas sensações antes de suas apresentações ou concertos. Para citar alguns, Pablo Casals, Arthur Rubinstein e Luciano Pavarotti são celebridades que sempre falaram abertamente sobre o medo do palco em diferentes períodos de suas carreiras.

concerto

Uma pesquisa realizada em 48 orquestras do ICSOM (International Conference of Symphony and Opera Musicians) confirmou que 1 entre 4 músicos disse que esse nervoso era um problema grande para eles e que 96% dos músicos de orquestra admitiram ficar nervosos antes de apresentações.

Quando o nervosismo passa

O nervosismo jamais passa por completo, mas você pode encontrar formas de controlá-lo para que isso não se torne um desastre na sua apresentação. Ficar nervoso antes de um concerto é normal, mesmo que seja em escalas mínimas de ansiedade. É importante que você tenha a consciência do seu grau de envolvimento com a apresentação e com aquilo que ensaiou e saiba que a mente engana: muitas vezes só deixamos o nervosismo tomar conta, pois não vemos outra saída e não acreditamos no nosso preparo. Ficar nervoso antes do concerto pode não ser uma escolha para muitas pessoas, mas a forma como irá agir diante disso com certeza é. Você não tem que sofrer com a situação.

Como fazer com que o nervosismo seja uma ferramenta

O nervosismo pode ser uma ótima ferramenta de performance. Quando ficamos nervosos antes de uma apresentação, conhecemos os nossos limites e a zona de conforto, a qual devemos transcender. Se você não fica nervoso, não há aprendizados e você não sai de sua zona de conforto.

Além disso, o nervosismo pode ser inspirador e um ponto de tornar o seu trabalho único. Se você não sente nada enquanto toca, dificilmente tocará as emoções do outro, da plateia. Use as suas emoções para expressar emoção.

Na questão dos improvisos e elementos de performance, o nervosismo pode dar uma boa perspectiva do que esperar e dos momentos certos para realizar diferenciações – isso se o concerto dá espaço. A adrenalina age de formas diferentes na produção artística de uma pessoa, inclusive de um músico. Conhecendo-se melhor e as suas capacidades, poderá utilizar o nervosismo como um diferencial.

Por que ficamos nervosos antes de um concerto?

O nervosismo antes do concerto é algo muito subjetivo, ou seja, cada uma sente ansiedade por determinadas coisas. Isso nos remete ao conceito de estresse biopsicossocial, que é provavelmente a melhor explicação sobre o motivo de experimentarmos nervoso em apresentações.

concerto

Ansiedade (nervoso) nada mais é do que um produto de um complexo processo de análise cognitiva que ativamente equilibra a percepção de recursos de um indivíduo, as demandas da situação, fontes de retorno internas e externas antes, durante e depois de performances. O grau da “ameaça” é definido pela expectativa que tem dos outros e de si mesmo, formas de comparação com o trabalho de outros músicos entre outras questões bastante pessoais.

O cérebro humano tenta calcular as probabilidades que você tem de errar. Se o cérebro decide que provavelmente você vai se sair muito bem, você não vai ficar nervoso – por isso dissemos antes que a mente pode enganar. Se o cérebro acha que tem uma boa chance de você errar, você vai definitivamente ficar nervoso.

Dicas Extras

Veja algumas dicas para ir bem no seu concerto e afastar o nervosismo:

  • Fazer de conta que é só esquecer que o nervosismo passa pode ser uma estratégia eficiente para alguns, mas isso não funciona para todos.
  • Ensaiar mais, sabendo que tem problemas de concentração e nervosismo, pode dar alguma segurança em seus concertos.
  • Relaxar um pouco horas antes da apresentação é muito interessante. O relaxamento, a meditação, a yoga, etc. podem ajudar. O violinista excepcional Yehudi Menuhin foi um grande praticante de yoga.
  • Descanse, durma quantas horas precisar. Tome um chá relaxante, como o de camomila, por exemplo. Evite remédios controlados ou bebidas alcoólicas antes da apresentação.
  • Faça refeições leves antes do concerto.
  • Estas são apenas dicas. Conheça aquilo que faz bem para você e coloque em prática.

Há ainda algumas estratégias de Coaching que podem melhorar a sua performance:

  1. Preparação: Reveja os modos como aprende algo novo e saiba como estudar de modo correto.
  2. Gestão das emoções e de energia: Aprenda como controlar a resposta do teu corpo à adrenalina. Reveja as suas fontes de energia.
  3. Confiança: Aprenda como aumentar a confiança. Aprenda como confiar nos demais músicos e equipe do seu projeto.
  4. Coragem: Aprenda como tocar com coragem, sem considerar os erros.
  5. Concentração: Desacelere a mente para poder recuperar o controle, mesmo em situações de tensão.
  6. Foco: Aquietando a mente, você pode se focar no momento.
  7. Resiliência: Aprenda como se recuperar rápido de erros.
  8. Motivação: Aprenda como se manter motivado em relação às suas metas como músico.
  9. Essência: Todo mundo tem um fator X para o qual pode recorrer. É aquilo que faz o seu trabalho ser único. Descubra o seu e terá uma apresentação fantástica.
Postagens Relacionadas