Uma forma simples de saber se toco por prazer ou por necessidade

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Vida de músico – Cada músico tem seus próprios propósitos de carreira. Ele pode tocar por prazer ou por necessidade, e em muitos casos, consegue conciliar as duas justificativas. Saiba mais sobre o que é tocas para se satisfazer e quando é preciso tocar para pagar as contas no fim do mês.

Tocando por prazer

Inicialmente, a vida de músico começa com a busca em se satisfazer tocando o seu instrumento. Nem sempre é por profissão e muitas vezes o hobbie ganha uma carreira significativa e de sucesso. Com o tempo, aqueles que escolhem ter a música como uma carreira vão encontrando desafios – ainda mais no Brasil, que para o senso comum o músico não é visto como um profissional, o que é um grande engano. O mercado é acirrado e o sonho de ganhar dinheiro com a música fica restrito.

vida de músico

Tocar por prazer ou necessidade é uma escolha feita por cada um e algo bem comum na vida de músico. Não há regras sobre isso. Há quem prefira colocar o prazer e a satisfação além dos ganhos, independentemente de quanto forem e há quem prefira fazer da música uma renda extra, sem grandes complicações financeiras. Afinal, estar satisfeito e sentir prazer é também uma necessidade humana.

Para o filósofo alemão Friedrich Nietzsche, a sem a música, a vida seria um erro, e muitos músicos levam esta condição como uma filosofia de vida. Mas é possível se divertir e se satisfazer com a sua arte ganhando dinheiro com ela.

Tocando por necessidade

Mas todas as pessoas possuem contas para pagar e ser músico é uma profissão como qualquer outra: é preciso gerar valor com o seu trabalho. É muito triste atuar como músico apenas por necessidade, sem tirar qualquer tipo de prazer pessoal nisso. Em qualquer profissão isso é complicado, pois toda cada dia de trabalho uma frustração sem fim. No caso da música, o público muitas vezes sente a falta de empatia do músico com a situação.

vida de músico

Para sair deste ciclo de “fazer música para pagar as contas”, é preciso investir em uma autoanálise sobre a sua carreira e sobre os seus objetivos artísticos. Muitas vezes mudar de estilo, encontrar novas oportunidades ou renovar o networking já ajuda a trazer um novo fôlego para a carreira. Um músico deve sempre estar se renovando, se reinventando, adquirindo novas experiências profissionais.

Muitas vezes, quando o que sobrou no seu coração foi só a necessidade de pagar as contas é porque alguma coisa ficou pelo caminho, que precisa ser resgatada. Agitar as coisas pode ser uma forma de se redescobrir como músico e oferecer ao mercado algo diferente.

A vida de músico e o consenso

O certo seria conciliar o prazer e as necessidades, a satisfação com o dinheiro, a arte com a profissão. A carreira de músico pode oferecer diferentes maneiras de desenvolvimento e crescimento, e muitas vezes é preciso fazer concessões para viver o pleno prazer em se tocar para um público e ser valorizado por isso. Quanto mais um músico se sente satisfeito com o seu trabalho, melhores condições terá de escolher o futuro de sua carreira. Mas para isso, é preciso investir um pouco nela – com bons treinamentos e formação assertiva, por exemplo.

vida de músico

Talvez a solução para esta questão seja mesmo o caminho do meio: ter uma definição clara sobre os seus objetivos como músico e alinhar os diferentes recursos para trilhar uma carreira profissional valorizada e prazerosa.

Postagens Relacionadas