Os segredos para viver de ensinar música

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Ensinar música – É possível viver exclusivamente de ensinar música? O ensino de música tem levado muitas pessoas a buscarem uma formação na área, principalmente entre aqueles que já dominam um instrumento. Mas é preciso ter algumas competências e habilidades para ser um bom professor de música. Veja sobre estas características a seguir!

A carreira de quem ensina música

Muitos dos meus alunos, seja de aulas presenciais ou do programa Música sem Limites, questionam-me sobre a carreira de quem decide ensinar música. Muitos destes, mesmo os iniciantes, já têm a visão dobre em que querem atuar e a profissão de professor de música sempre é cogitada, ainda mais se você ama o seu instrumento e gostaria de ganhar dinheiro tocando e ensinando outras pessoas a tocar.

ensinar música

Há muita satisfação envolvida no ensino-aprendizado de música. Ganhar dinheiro fazendo o que gosta é uma delas – é totalmente possível você ganhar muito dinheiro fazendo qualquer coisa com a qual se identifique e tornando-se uma referência no que faz, independentemente de sua profissão. Com o músico não é diferente: se conseguir inovar e oferecer aquilo que os seus clientes necessitam, de modo diferenciado e com um retorno fantástico do investimento aplicado, você terá sucesso.

Então, o primeiro passo na carreira de quem quer ensinar música é amar muito o que faz.  É muito triste ver certos profissionais, em diferentes áreas, atuando por atuar ou por necessidade, sem gostar do que está fazendo. A satisfação pessoal é a essência de um profissional de sucesso e também de um professor de música bem sucedido.

Competências e habilidades para ensinar música

Além disso, para ensinar música, é preciso ser de fato um músico. O que isso implica? Conhecer bem seu instrumento, possuir conhecimentos profundos sobre música e sobre o desempenho do instrumento que escolheu, ter experiência, ter visão do todo (pois, afinal, um músico não toca apenas para si e nem sozinho), conhecer todos os elementos musicais (timbre, harmonia, ritmo, melodia, intensidade do som, etc.) e diversos outros conhecimentos técnicos. Vale a pena cogitar uma formação superior e até especializações para se destacar da concorrência.

ensinar música

Há ainda competências específicas do professor de música: conhecer diferentes metodologias e adaptá-las ao aprendizado dos seus alunos, disposição de aprender cada vez mais, conhecimento sobre didática musical, ter comunicação assertiva, ter paciência e capacidade de reconhecer que o aluno está aprendendo ainda e o seu papel é ser um intermediador no processo de ensino-aprendizagem do mesmo, e muitas outras competências.

Além disso, conforme a OMB – Ordem dos Músicos do Brasil, apenas o músico profissional, com carteira de músico, poderá exercer a profissão em qualquer gênero, e pode ainda lecionar a matéria de sua especialidade. Aos músicos práticos isso é proibido. A profissão de músico é também regulamentada pelas portarias 3.346 e 3.347 do Ministério do Trabalho. Sabe-se que pelo Brasil a fora isso foge um pouco à realidade e há muitas pessoas ensinando música sem cadastro na OMB ou mesmo sem ser profissional.

ensinar música

Um professor de música precisa ainda ter conhecimento sobre gestão de negócios, independentemente se irá trabalhar como autônomo, como uma renda extra, ou se irá montar uma escola de música – ideia esta bem lucrativa, já que para ter dinheiro é preciso um negócio escalonável. Gestão de pessoas (ao trabalhar com outros professores de música e outros profissionais), conhecimentos sobre finanças e legislação empresarial, contabilidade, divulgação e publicidade, conhecimentos aplicados sobre o mercado de música e produção cultural, etc.

Desafios dos músicos que ensinam

Como em qualquer carreira, ensinar música tem os seus desafios. Não é fácil ficar sem alunos ou enfrentar a sazonalidade deste segmento, ainda mais diante de períodos de crise. Para isso, é preciso estabelecer planos de ação que o façam expandir a sua capacidade profissional e gerir contingências. Investir em formação, até mesmo quando você já é um profissional experiente, pode ser algo dispendioso, mas necessário.

ensinar música

Ser músico não é algo barato: é preciso investir em bons instrumentos, formação contínua, gestão de carreira, divulgação, marketing pessoal e muito mais. Mas se você parar para pensar, todas as profissões requerem estes gastos. Contudo, saiba que é muito gratificante você dedicar anos de sua vida fazendo o que gosta e trabalhando com algo tão sutil e primoroso como é a música. Além disso, ver que você pode fazer a diferença na vida das pessoas e formar novos músicos não tem preço.

Veja também o que difere um músico profissional de um músico amador lendo este artigo.

Postagens Relacionadas