O tabu de ser amador e profissional da música

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Amador e profissional da música – O limite entre um amador e profissional da música não é fácil de definir e em geral está envolto em muita polêmica. Esta é uma das primeiras dúvidas entre aqueles que buscam seguir carreira de músico. Mesmo que haja uma legislação sobre a profissão de músico, na prática as coisas são bem diferentes. Saiba mais sobre o que caracteriza o músico profissional e o músico amador.

Amador e profissional da música – Uma polêmica!

Mesmo que haja uma legislação que garanta os direitos do músico profissional no Brasil, existe um limite pouco claro entre o amador o profissional da música. Ter uma graduação em música não é mais um critério que distinguia o músico profissional e amador. Ninguém, obviamente, cursa uma graduação ou faz escola de música sem a intenção de seguir carreira. Mas isso não basta para fazer do músico um profissional, como antigamente se supunha.

amador e profissional de música

O que justifica esta afirmação são os milhares de músicos sem formação acadêmica espalhados em todas as regiões brasileiras, que trabalham exclusivamente com música. Apenas no meio acadêmico, o músico é avaliado como profissional ou amador pelo seu nível de instrução. Mas a OMB – Ordem dos Músicos do Brasil possui ainda outros critérios para dar aval a um músico para a sua atuação profissional. O erudito e o popular também não servem mais para explicar a relação amador e profissional da música.

Saiba ainda a diferença entre o músico clássico e erudito e o músico popular neste post.

O que distingue o amador do profissional da música?

Você já deve ter conhecido alguém que não tem formação de músico ou até mesmo muita experiência, mas que nas horas vagas toca na noite ou faz apresentações por um cachê ínfimo. São professores, médicos, engenheiros ou gente de todo tipo de profissão que toca por hobbie ou renda extra. Mas quando a questão é dinheiro, não assumem a profissão de músico e retornam para seus afazeres de suas profissões originais. Esse é um retrato perfeito do músico amador, aqueles que só se apresenta de vez em quando e que não se sustenta com os trabalhos artísticos musicais. As diferenças entre amador e profissional da música começam assim.

Um músico profissional é aquela pessoa que tem experiência na sua categoria musical e conhecimentos na sua área e que tenha a maior parte de sua renda a partir da atuação no campo da música. Na verdade, segundo a OMB, a palavra “músico” serve apenas para indicar o profissional de música, aquele que atua como músico na maior parte do seu tempo.

amador e profissional de música

Isso independe se a formação da pessoa seja formação é erudita ou popular, ou se tem uma segunda profissão, mas é preciso que a sua principal atividade profissional seja de músico. Desta forma, conseguimos definir melhor a diferença de amador e profissional da música.

Além disso, a legislação referente à profissão de músico diz ainda que, a “pessoas que utiliza todo e qualquer tipo de promoção (placas, cartazes, anúncios, etc.), deve estar legalizado junto a OMB, devidamente registrado, ou do contrário, poderá ser punido”, conforme a Lei 3.857/60, art. 18. A OMB define ainda a profissão de músico em duas: o músico profissional e músico profissional prático.

Para ser um músico profissional registrado na OMB, é preciso fazer um exame de habilitação, prático e teórico, com banca designada pelo conselho regional. Contudo, se a pessoa tem diploma de músico em curso superior ou curso técnico de música, não precisará fazer o exame. Quando habilitado, o músico poderá exercer a profissão e ainda lecionar a matéria de sua especialidade.

amador e profissional de música

Com o músico prático é diferente: deve realizar um exame prático de habilitação, com banca de especialistas na sua categoria. Mas não é exigido o conhecimento teórico para a aprovação. O músico prático tem os mesmos direitos que um músico profissional, apenas não poderá lecionar ou votar em assembleias da Ordem.

A profissão de músico ainda é regulamentada pelas portarias 3.346 e 3.347 do Ministério do Trabalho. Quando uma pessoa não possui a intenção de seguir carreira de músico profissional, pode ser considerado um músico amador.

Mas a definição de amador e profissional de música não se encerra aí: há muitas outras formas de fazer música e viver de sua arte que não se encaixam na definição oficial da OMB, como é o caso das bandas iniciantes, dos músicos em formação, das categorias populares e folclóricas, etc. O fato de não possui credenciamento da OMB fazem destas pessoas menos músicos? É uma questão complicada!

Veja mais sobre esta discussão entre músicos amadores e profissionais também neste artigo. Saiba ainda se o fato de ler ou não partitura interfere no profissionalismo de um músico lendo este post. Não deixe de conferir também a nossa página no Facebook e saiba todas as novidades!

Postagens Relacionadas